Buscar
  • Mateus Costa Provinciano

Rafael Ohde: uma história de saúde e vitórias com a Corrida de Rua!


Todos sabem que emagrecer é algo muito difícil e complexo, e que sem foco e dedicação é muito difícil perder as temidas gordurinhas.

Mas pelo outro lado é algo muito satisfatório e que se feito da maneira certa, sem pressa e com orientação de um profissional é um processo que pode te devolver a qualidade de vida.

Os benefícios são diversos, e podem ser percebidos já no começo da dieta.

VAMOS A ALGUNS PONTOS: • Dormir melhor • Melhor desempenho sexual • Melhor equilíbrio hormonal • Aumento de desempenho em atividades físicas • Alívio do estresse • Menos dor nas articulações

Pensando nisso, nós da FOCUS, decidimos contar a história de um dos nosso pacientes, para mostrar para todos vocês que com dedicação você pode sim emagrecer.

FOCUS - Durante a dieta você perdeu quantos quilos? E em quantos meses?

RAFAEL - Durante a dieta eu perdi 50 kg. Cheguei a pesar 130kg na minha pior fase e em um periodo cruzei a barreira dos 80kg... O processo completo durou pelo menos 1 ano. Mas eu não me dava prazo. Eu me dava meta: cruzar a barreira dos 110kg, 100kg, dos 90kg e assim vai, o começo é muito rápido.

FOCUS - Como foi o processo de corrigir sua alimentação?

RAFAEL - Eu comecei a cortar coisas mais inúteis como refrigerantes e frituras. Comecei a fazer uma dieta bem restritiva em almoços durante a semana com grelhado e salada não passando de 300g. As vezes em finais de semana eu dava uma exagerada, mas na semana seguinte já voltava na rotina Nunca fui de comer salada, mas me acostumei com isso, hoje já é algo que gosto. Não faço mais questão de tomar refrigerante, mas tenho fraqueza com pães e doces ainda.

FOCUS - O processo de começar a fazer exercícios físicos diariamente foi muito difícil?

RAFAEL - Eu tinha vergonha de frequentar academia, já tinha pago algumas por alguns meses mas nunca tinha ido. Por isso decidi contratar um personal para ir no meu predio todo dia às 6 da manhã. Era um horário bem cedo que não competia com nada da minha vida e eu ficava sem graça de desmarcar com ele pois ele já estava lá. Era um metodo anti auto-sabotagem. As primeiras semanas eram difíceis, mas eu estava com muita vontade de fazer acontecer. Me pesava diariamente e via os resultados acontecerem.

FOCUS - Qual a principal mudança você sentiu na sua vida após começar a emagrecer?

RAFAEL - Algumas roupas foram voltando a me servir e eu consegui subir escadas sem ficar ofegante. Antes eu dormia muito mal e agora isso melhorou, mudou muito da minha vida. Minha esposa sempre teve uma vida muito ativa e eu sentia que não estava conseguindo acompanhá-la nas atividades.

FOCUS - Porque você decidiu mudar de vida? O que te fez sair da zona de conforto e correr atrás de uma boa saúde?

RAFAEL - Eu estava indo frequentemente a hospitais com crises asmáticas e meus exames começaram a apontar alguns problemas de saúde. Eu estava vendo que esse caminho não ia dar muito certo. Alguns episódios me marcaram, como na Disney, o cinto não fechou em mim e me colocaram em uma cadeira “especial”. Já estava ficando muito maior que minha esposa que sempre foi muito magra. Esses foram alguns pontos que me fizeram mudar de vida.

FOCUS - Você correu duas maratonas e diminuiu o tempo de uma pra outra. O que você sentiu quando concluíu essas maratonas?

RAFAEL - Eu comecei a correr aos poucos, com 6 meses de treino fiz os primeiros 5k e terminei acabado. Depois de 6 meses estava fazendo provas de 10k e a meta era fazer abaixo de 1 hora. Entre a primeira prova de 5k e a maratona foram 3 anos de preparação. A primeira foi mais simbólica e mais especial, pois para mim foi o fechamento do ciclo e mostrou que sou capaz de atingir os objetivos que eu quiser. Correr a segunda maratona foi uma forma de re-organizar minha rotina com uma meta a vista. O tempo de conclusão foi secundário, o legal é a organização da rotina que ela traz.

FOCUS - Hoje você faz fisioterapia regularmente, o que as sessões de fisio ajudam na sua vida e nos exercícios que você pratica?

RAFAEL - Eu seguia fazendo minha gestão de auto-sabotagem. Sabia que se me machucasse, e tivesse que ficar um tempo parado, eu iria desanimar e poderia ser mais difícil de voltar. Então qualquer sinal de dor eu já ia ao ortopedista. Comecei a fazer a fisio, para tratar os primeiros sinais e para prevenir que eles aparecessem. Hoje em dia minha musculatura está mais forte, os lugares que eu sentia dor antigamente, hoje eu já não sinto mais. Mas como todo corredor, as vezes aparece um desconforto em algum lugar diferente.

FOCUS - Como era sua rotina antigamente e como é ela hoje em dia?

RAFAEL- Antigamente eu acordava “atrasado”, não tomava café da manhã e ia trabalhar. Ficava trabalhando até tarde e voltava pra casa, jantava e dormia. Não tinha qualidade de vida. Meu sono era bem ruim e quando eu acordava a cama estava molhada de suor. Hoje, ter metas de corrida ajuda a organizar minha rotina 1x por semana fisio, 4x corrida, 2x musculação. Acordo mais cedo, aproveito mais o dia.

FOCUS - Qual sua visão sobre a Fisioterapia?

RAFAEL - Confesso que não conhecia sobre a fisioterapia antes. Achava que era para recuperacao de traumas, onde deveriamos fazer alguns exercícios leves. Hoje vejo que é diferente e existem vários focos diferentes. Eu uso de forma preventiva, para evitar que tenha alguma lesão e quando sinto algum ponto específico foco mais nele por algum tempo. A prevenção hoje é meu maior foco.

FOCUS - A fisioterapia te ajudou a melhorar seu desempenho nas corridas?

RAFAEL - Não sei se ajudou, difícil saber como seria sem ela. O que posso dizer é que os pontos na perna que eu sentia desconforto hoje eu não sinto mais. Consegui fortalecer alguns músculos que não trabalhava anteriormente. Hoje termino as corridas e estou “inteiro”, posso seguir minha rotina de treinos a partir do dia seguinte. As vezes um recovery também ajuda bem.

FOCUS - Agora que você está evoluindo no esporte, você se preocupa mais com as questões de treinamento e de recuperação pós prova?

RAFAEL - Sim, o volume de treinos segue aumentando, sei que se não me cuidar, posso ter algum problema. Acho que é uma visão de risco x benefício. Gastar o tempo disponível apenas para treinar pode ser mais vantajoso a curto prazo, pois a evolução é mais rápida. Eu prefiro evoluir aos poucos, me cuidando, para ser sustentável e não me colocar em risco desnecessário de lesão. Para mim o importante é a jornada e não a corrida em si. Após você conhecer essa história incrível de superação, nós da FOCUS queremos que todos vocês tenham força de vontade para conseguir quebrar uma barreira e atingir seus objetivos.

Acredite em você!


19 visualizações